Como funciona o seguro automóvel?

Antes de contratar o seguro de seu veículo, faça um cálculo prévio do custo da apólice. Esse valor pode variar muito de uma seguradora para outra. Consulte a tabela e veja o valor básico que terá de pagar de prêmio. Esse valor serve apenas de referência, já que pode variar dependendo da taxa de freqüência de roubo do veículo, do perfil do motorista e das condições de uso do carro, além de outros fatores de risco.

Como é calculado o valor do seguro?
O valor do seguro é calculado com base nos riscos aos quais o veículo ficará exposto. Eles dependem de uma série de fatores. Basicamente variam de acordo com o tipo e modelo de carro, com o perfil do motorista, com o índice de roubo do modelo, e com o tipo de uso e cuidados a serem dispensados ao veículo.

Por que o tipo de carro influi na taxa de risco?
Veículos de uso familiar, como sedãs ou peruas, têm um risco menor que os demais por serem de uso estritamente familiar, ao contrário dos esportivos, considerados de alto risco devido a elevada potência e desempenho. Já os utilitários e picapes têm um preço de seguro mais alto porque podem ser utilizados no transporte de carga e em atividades comerciais, onde costumam ser conduzidos por vários motoristas.

O que cobre um seguro automotivo?
O seguro de automóveis completo dá cobertura contra roubo, furto, incêndio, colisão e contra terceiros. Em alguns casos cobre também enchentes, alagamentos, chuvas de granizo, furacão ou queda de árvores. Acessórios e equipamentos de som -mesmo originais de fábrica- ficam fora da cobertura, exigindo um contrato em separado. Ao fazer o seguro do carro leia atentamente o contrato para ver o tipo de cobertura que está sendo contratada. Verifique também a cláusula que determina com quantos meses de uso seu veículo deixa de ser considerado um carro novo.

Quais são as modalidades de seguro?
Existem basicamente duas opções de cobertura no mercado: a que indeniza o veículo pelo valor de mercado e a que indeniza por um valor previamente estabelecido.

Como funcionam esses sistemas?
a) A indenização pelo valor de mercado acompanha automaticamente a oscilação da cotação do veículo. Em caso de perda total, por colisão ou furto, o segurado vai receber o valor correspondente ao veículo na ocasião do sinistro.
b) A indenização por um valor previamente definido é vantajosa para o cliente, já que na hora de repor o veículo estará recebendo o valor equivalente ao de compra do carro. As principais desvantagens são o custo mais elevado e a necessidade de constantes atualizações em uma economia com taxas elevadas de inflação.

Como é feita a indenização pelo valor de mercado?
Para chegar a esse valor, as companhias de seguro fazem um levantamento dos vários preços do veículo em revendedoras e nas tabelas de revistas e jornais especializados. A partir desses dados obtêm uma média, que vai ser o valor a ser pago ao cliente. Em breve, as seguradoras deverão utilizar uma tabela de preços padrão, apurada pela Fipe/SP (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), como referência para o pagamento das indenizações de seus veículos.